Home / Ver e Fazer / Aqui perto / Portugal / PORTALEGRE
PT | EN | ES
spacer
PORTALEGRE

PORTALEGRE

Perde-se na obscuridade da história a origem da cidade de Portalegre. Segundo uma lenda contada por Frei Amador Arrais, Bispo de Portalegre: Passeava um dia Maya, filha de Lísias, com Tobias, até que um vagabundo, Dolme, a cobiça e a rapta, assassinando Tobias que se movia em defesa de Maya. Lísias capitão de Baco desesperado pelo desaparecimento da filha , parte à sua procura mas encontra-a morta.Lísias estaria então acampado no mesmo sítio onde ainda hoje passa o Ribeiro de Baco. Lísias viria então a morrer de súbita alegria, após ter vagueado muito tempo chamando pela filha, quando um dia julga ve-la estender-lhe os braços numa ilusória aparição. Seria então em homenagem a Maya que se teria fundado a cidade de Ammaia no mesmo sítio onde hoje está Portalegre.Sabe-se hoje porém que apesar de ter existido, a cidade Romana de Ammaia, encontrava-se onde hoje está a povoação de Aramenha e que toda esta lenda que sempre se contou sobre a cidade de Portalegre não passa de fantasias apoiadas numa lápide Romana, ainda hoje existente no Museu Municipal e que terá sido trazida de Aramenha para Portalegre quando da sua fundação, tendo na altura servido de base a uma coluna na, ainda existente, ermida do espírito santo. Nessa lápide pode ler-se (traduzido): «Ao imperador Lúcio Aurélio, verdadeiro Augusto, filho do divino Antonino, Pontífice Máximo, investido no poder tribunício, cônsul pela 2ª vez, pai da Pátria, dedicou o município de Ammaia».Remetendo ao mais antigo cronista da cidade - O padre Diogo Pereira Sotto Maior - e apesar de ele ter relatado outras teses sobre o aparecimento da cidade a mais provável seria a seguinte: «Dizem que esta cidade foi primeiro situada em üas vendas que estavam por cima dos Portelos, junto à ermida de San Bartolomeu e contra a Porta da devesa que se chamavam as Vendas dos Portelos e que daqui tomou depois o nome de Portalegre...E porque sua vista é alegre e aprazível aos olhos de quem nele os punha, vieram chamar-lhe porto alegre, donde depois vem a chamar-se Porto Alegre, derivado de Portelos.» Certo é, porém, que em 1259, pouco mais de meio século volvido sobre a formação do reino de Portugal, D. Afonso III concede a Portalegre o seu foral de vila, mandando reconstruir a antiga povoação de Portelos, arrasada pelas escaramuças entre cristãos e Muçulmanos, dando-lhe o nome de Portus Alacer (Portus - um local de trânsito de mercadorias e Alacer - devido à sua alegre e pitoresca situação). Pela importância do seu aspecto estratégico. D. Dinis, em 1290, rodeia-a, de forte e dupla muralha (alguns troços ainda hoje existentes) e manda erguer o seu castelo, sobranceiro à planície extensa, sentinela vigilante para a defesa da integridade do território Português. Para além das duas cercas de muralha e das doze torres existiam também sete portas: Poterna, ao fundo da Rua da Figueira (desaparecida), Crato (conhecida hoje por arco do Bispo), Évora ou Porta Falsa, ao fundo da Rua do Arco (desaparecida), Elvas, ao fundo da rua com o mesmo nome (desaparecida), Alegrete ou S. Francisco (conhecida hoje por arco de St António)(por esta porta entrou Filipe II de Espanha, I de Portugal tendo se dirigido à Sé onde foi recebido pelo Bispo D. Filipe de Noronha e pelo Clero), Postigo, ao cimo da rua de S. Tiago e Pirão (desaparecida) e devesa ou Espírito Santo.Por carta de 18/11/1299, D. Dinis decidiu que Portalegre seria sempre "de El Rei e de seu filho primeiro herdeiro". Em 1387 D. João I grato pela atitude dos Portalegrenses ao pugnarem pela sua causa, a da independência, durante as cortes de Coimbra, deu-lhe o titulo de Leal, tendo sido Portalegre a segunda a fazê-lo, logo a seguir ao Porto.Em 1549, por diligências de D. João III, o Papa Paulo III expedia a bula que criava a nova diocese de Portalegre, tendo posteriormente sido elevada a cidadepor carta de privilégios de D. João III datada de 23 de Maio de 1550. Ainda hoje se celebra todos os anos o dia da cidade a 23 de Maio.Com a elevação a cidade , muitos nobres e burgueses construíram a sua casa fora de muros. Essas construções formam um dos conjuntos mais notáveis de moradias seiscentistas e setecentistas do País. A burguesia empreendedora que nessa época se fixou na cidade desenvolveu variadas indústrias especialmente a têxtil.Em 1640, Portalegre é uma das primeiras cidades a reconhecer a independência de Portugal no dia 2 de Dezembro.No dia 18 de Julho de 1835 é elevada a sede de distrito.As cores da cidade são o amarelo (nobreza, fé, fidelidade, constância e liberdade) e o negro (terra, firmeza e honestidade).

Fonte: http://portalegrenoseumelhor.blogspot.com/2006/06/histria-de-portalegre.html