Ir para conteúdo
Personalidades

Dr. Adolfo João Lahmeyer Bugalho

Nasceu no Porto a 21 de março de 1907, na freguesia do Bonfim daquela cidade. Filho de Francisco José Bugalho, natural da vila de Castelo de Vide, e de Sofia Sarmento Lahmeyer Bugalho, natural da cidade do Porto, e irmão do Poeta Francisco Bugalho.

 

Licenciou-se em medicina em 1933, na cidade de Lisboa. Como médico, exerceu, até se reformar, toda a sua actividade profissional em Castelo de Vide: médico do partido municipal, Sub-Delegado de Saúde, médico do Hospital de Santo Amaro da Santa Casa da Misericórdia, clínico da Casa do Povo, médico da CP, de companhias seguradoras, etc.

 

Deixou publicados na Revista Médica, em 1951, os trabalhos de Investigação Clínica de Higiene e Hidrologia, “Rickettsioses – Casos de Ornitose – Alguns casos de doença com reacção de Weill-Felix positiva constatados no Concelho de Castelo de Vide”.

 

Muito hábil na arte do desenho, expressou também o seu inegável talento artístico nas gravuras em madeira que fazia para os semanários “O Castelovidense” e “Terra Alta”, e que constituem uma apreciável coleção. Também pela escrita se evidenciou, não só na colaboração abundante que publicou na imprensa local, no “Diário da Manhã”, no “Jornal do Médico”, etc, mas também com algumas peças teatrais, fazendo autêntico jornalismo literário.

 

No periódico “Terra Alta” deu à estampa as peças de teatro “O Pregão” e “Sombra de um Brilho”, e na Editorial Império, em 1961, “Eu e o meu Chapéu”. Incentivou ainda persistentemente e com entusiasmo, o teatro amador em Castelo de Vide, contribuindo assim para que se mantivesse essa tradição da cultura local.

 

Executava desde os cenários das peças que eram representadas pelos amadores em Castelo de Vide, os quais concebia, até outras manifestações de artes plásticas.

 

A pedido do Cónego Albano Vaz Pinto, Vigário de Castelo de Vide, pintou seis quadros para a capela-mor da Igreja Matriz da vila - do lado da Epístola: a Conversão de São Paulo; Cristo na Cruz rodeado pelos símbolos dos Quatro Evangelhos; os Sacramentos; e a Assunção de Nossa Senhora; do lado do Evangelho: uma representação dos Dez Mandamentos; e a Anunciação de Nossa Senhora.

 

Casou em 2 de junho de 1943 com Ana de Lurdes Bugalho Pereira. Do seu casamento nasceu uma filha, Isabel Bugalho.

 

Faleceu a 10 de dezembro de 1986 com 79 anos de idade.